DNV.com.br

Conselhos e suas partes interessadas

forest aerial view

Genebra, Suíça, 5 de julho de 2021: Hoje, o Conselho Empresarial Mundial para o Desenvolvimento Sustentável (WBCSD), em colaboração com a DNV, lançou um relatório explorando como as principais abordagens para o engajamento das partes interessadas, materialidade e gestão de risco podem ser reunidas para apoiar decisões em nível de conselho e como fazer.

A COVID-19 (pandemia) enfatizou a necessidade das empresas irem além da primazia do acionista e considerarem o propósito da organização, sua licença social para operar e os impactos que ela tem na sociedade e no meio ambiente.

Como isso, a criação de valor para a empresa dependem de bons relacionamentos com funcionários, clientes, fornecedores, provedores de capital, governos e sociedade civil, a pesquisa mergulhou no engajamento do conselho com as partes interessadas. As principais descobertas abordadas no relatório incluem: 

  • O envolvimento das partes interessadas no nível do conselho ainda é muito limitado;
  • A alta administração é normalmente responsável pelo engajamento;
  • Os conselhos devem ter um papel mais ativo;
  • O engajamento ajuda as empresas a identificar os principais riscos relacionados a ESG;
  • As avaliações de materialidade podem ajudar as empresas a compreender uma gama de pontos de vista das partes interessadas do conselho;
  • O papel do conselho no engajamento das partes interessadas varia entre os negócios. 

A pesquisa recebeu respostas de mais de 100 diretores, executivos e líderes funcionais e esses dados quantitativos foram complementados com entrevistas individuais com diretores e gerentes para entender o que está acontecendo na prática. 

Mario Abela, Diretor de Redefinição de Valor do WBCSD disse que ‘as empresas precisam reconhecer a interconexão de suas operações com as principais partes interessadas para ir além do modelo de primazia do acionista. Visão 2050 do WBCSD destaca a necessidade de uma mudança de mentalidade para impulsionar as transformações necessárias com urgência no propósito de negócios, resiliência e operação regenerativa para criar um crescimento sustentável de longo prazo. Modelos de negócios sustentáveis dependem da qualidade das relações entre uma empresa e seus principais stakeholders. Não é um complemento para administrar uma empresa de sucesso, mas um elemento essencial. 

Jason Perks, Diretor Sênior de Sustentabilidade e ESG da DNV disse ‘Embora o envolvimento no nível do Conselho ainda seja um pouco limitado, está claro em nossa pesquisa que o envolvimento das partes interessadas é a chave para ajudar as empresas a entender melhor os riscos e oportunidades relacionados a ESG. Isso é vital para criar e proteger valor a longo prazo. É hora das empresas usarem ferramentas como avaliações de materialidade e envolvimento das partes interessadas para garantir que os conselhos sejam informados e engajados com suas partes interessadas sobre os tópicos ESG para garantir a tomada de decisões estratégicas adequadas ao futuro." 

Esta pesquisa destaca a necessidade de um trabalho mais estratégico nesta área para fortalecer até que ponto as partes interessadas são consideradas na tomada de decisão da diretoria, mas existem algumas ações que as empresas podem considerar para garantir que o engajamento seja eficaz e integrado em toda a organização. 

Leia o relatório completo aqui