Skip to content

Relato de progresso de soja, cacau, gado, óleo de palma, madeira e outras commodities sensíveis em cadeias complexas

Novas exigências exigem maior transparência e ação

Não importa se falamos em soja, gado, cacau, milho, cana, óleo de palma, minério de ferro, madeira, outros produtos básicos derivados ou que consomem commodities, estamos todos na mesma tempestade, mas não no mesmo barco.  

Afirmar que sua empresa mapeou fornecedores direto/indiretos, que tem compromissos de longo prazo, já é algo usual e é necessário demonstrar a evolução e a progressão de seus indicadores.  

Um trader, um gigante do setor de alimentos, uma mineradora, todos precisam passar do compromisso à ação e trabalhar com transparência para engajar um público muito mais orientado por dados e rastreabilidade, seja um regulador público ou um cliente-chave. 

A DNV tem vasta experiência na cadeia de suprimentos e garantia ESG, em estreita colaboração com grandes traders, empresas de alimentos, mineradoras, madeireiras e outros setores e áreas. Dessa forma, conhecemos as questões e nos colocamos em uma posição privilegiada para fornecer nossa visão e experiência neste campo. 

ONGs, agências de rating e os enormes volumes de dados disponíveis tornam um verdadeiro desafio a proteção à marca e reputação, já que quase todas as empresas terceirizam pelo menos parte de seus processos. 

Se por um lado o setor privado tenta traçar sua rota, e como em qualquer processo de aprendizado sempre há perdas e custos envolvidos, por outro lado, o trabalho ao longo da cadeia de suprimentos mostra seu valor, ligando o alerta contra perdas reais, diretas ou indiretas.  

Uma avaliação externa e imparcial de seu relato de progresso pode promover a transparência e ressaltar a credibilidade dos atuais esforços de sua empresa sobre cadeias livre de desmatamento, conversão e e reafirmar o compromisso com a preservação da biodiversidade.